Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

22 e agora?

Aos 22 anos apercebi-me que a minha vida (re)começa agora. É hora de novas aventuras.

Como voltei à regularidade

Já estão fartos de ouvir falar que nos últimos tempos a falta de rotina afetou drasticamente o blogue. Para esta nova rotina correr bem decidi que tinha de organizar melhor as coisas e para isso comprei um planner da Stradivarius que me tem ajudado imenso! Ora é um planner semanal e sem datas pré definidas o que ajuda imenso a sermos nós a criar a organização que precisamos. Basicamente cada folha tem uma semana em branco onde apenas existem os dias da semana, já no verso tem um monte de linhas para anotações mais longas. Para me organizar criei já o mês de julho todo e defini os post's que são de rubricas aqui do blogue vou fazendo os textos à medida que tenho tempo e deixo os post's já agendados aqui no Sapo, assim garanto que pelo menos três publicações por semana irão sair do forno. Os restantes dias preencho conforme me apetece, sejam assuntos do momento ou coisas que acho interessante e quero partilhar.

Pode parecer paranoico, mas este caderno tem-me ajudado imenso a não falhar nas publicações, pois sinto uma obrigação gigante na minha mente em colocar vistos a vermelho à frente das publicações já escritas e agendadas/publicadas. E vocês quais são os vossos métodos de organização para o vosso cantinho?!

 

4209004141_1_1_1.jpg

Imagem retirada do site da Stradivarius

 

O meu rico São João

Quando troquei de emprego confesso que a minha maior felicidade passou pelo facto de perceber que iria poder ir a casa no São João. Durante os anos de faculdade perdi várias vezes o São João por estar em exames, - um amor para sempre Sidoncha - mas agora que tudo isso acabou posso finalmente voltar a celebrar a melhor festa do Porto.

Este ano o São João tem um gosto ainda mais especial porque este ano foi a primeira vez que festejei o Santo António e por muito que tenha gostado nada se compara aos meus martelinhos e manjericos. Foi uma noite incrível de muito passeio, - 13 km de subidas e descidas - boa companhia e um fogo de artificio um bocadinho mais fraquinho que o ano anterior. Como sempre soube a pouco, muito pouco mesmo e o fim de semana lá se passou num piscar de olhos. Há por aqui alguém que tenha festejado o São João?

Rotina, ou a falta dela

Desde que finalizei o primeiro ano de mestrado que comecei a minha vida de adulta a sério no mundo do trabalho. Trabalhei numa loja durante o verão e, como é óbvio, tinha um horário louco que mudava todos os dias, todas as semanas. Por causa disso, desde ai que sempre foi difícil criar e manter uma rotina na minha vida porque os dias da semana eram muitas vezes sinónimo de fim de semana e este era muitas vezes de trabalho. Depois quando me mudei para Lisboa para fazer o estágio já tinha mais ao menos uma rotina: tinha um horário - minimamente - fixo e os fins de semana para descanso. Isso ajudou-me muito. Mas depois tive de abdicar novamente de tudo porque voltei para uma loja e o meu corpo voltou a ser uma loucura. Sem horários fixos para comer - e muitas vezes uma refeição a ser almoço e jantar ao mesmo tempo, a falta de rotinas de sono, etc... Isto tudo para dizer que ainda não consegui adaptar-me à rotina que o novo trabalho me exige. Trabalhar num escritório implica estar presente no local das 9h às 18h e isso é coisa que há muito tempo não acontecia. Mesmo quase um mês depois de ter começado ainda me custa imenso acordar cedo, depois de almoço ainda me dá sempre uma moleza extrema e quando chego a casa só quero mesmo a minha cama para dormir. Tudo isso custou-me dias de ginásio, mil e quinhentas publicações no blogue e uma tese em stand-by. 

Estou a tentar aos poucos criar uma rotina com a qual me sinta confortável e para isso tenho tentado acordar todos os dias um bocadinho mais cedo, ir ao ginásio quando saio do trabalho, forçar-me a pelo menos duas vezes durante a semana escrever um pouco da tese e o próximo objetivo é voltar ao blogue. Escrever aqui dá-me muito prazer e alivia-me imenso o stress do dia-a-dia, por isso, não é de estranhar que tenha sentido tanta falta deste cantinho. O problema é que sempre que penso "Ok vou sentar-me a escrever" na minha cabeça surgem um milhão de coisas que ainda estão pendentes. 

Agora expliquem-me pessoas adultas que andam nisto há mais anos que eu: onde arranjam estaleca para fazer tanta coisa?! 

Voltei.

Não escrevo no blogue vai fazer três semanas ou mais. Sinceramente perdi a conta aos dias. Precisei de uma pausa. Primeiro foi porque queria aproveitar as minhas folgas para passear, depois porque fui ao meu "happy place" - como eu gosto de lhe chamar - e depois porque vinha a casa e queria mais era aproveitar o tempo com os meus pais. A vontade de escrever não desapareceu, mas tudo parecia ser mais urgente, mais importante e precisar de mais atenção. 

Ao longo destas três semanas percebi a falta que escrever me faz. O quão feliz me deixa. 

Nas últimas semanas muita coisa mudou e muitas vezes quis escrever sobre isso e não o fiz. Não aqui pelo menos. Troquei ou melhor estou em processo de "troca" de emprego. Deixei de estar tão presente nas redes sociais para estar mais presente para mim. Tomei algumas decisões para resolver conflitos internos. Fiz mais tatuagens. Fiz surpresas a pessoas quando não podia estar presente em dias importantes. E celebrei momentos importantes. E muito mais. 

Agora decidi voltar. Voltar a escrever e voltar a fazer algo que me faz feliz. 

 

PS: Este é daqueles textos que não faz sentido para mais ninguém a não ser, claro, para mim.

O mundo muda (quase) sempre para melhor

A vida dá voltas. Muitas voltas mesmo, mas todas elas necessárias. Quando a vida muda e nos deixa sem chão achamos que o mundo está contra nós, que nos quer deitar a baixo. Na verdade não. Se a vida muda é porque é preciso, é porque vai ser para melhor.
Se no início de 2017 eu achava que o mundo se tinha virado contra mim hoje eu sei que estava errada. Hoje aprendi a valorizar-me mais. A ignorar mais o que os outros pensam. A lutar mais por mim, a fazer mais por mim! Aprendi o valor de estar sozinha. Aprendi a dar ainda mais valor aos meus amigos e percebi ainda mais quem são os verdadeiros que nunca me falharam.
A vida muda. A minha mudou. Mudou para melhorar. Obrigado "karma" por todas as voltas.
 

29a32aab63e5235f6248250867a5fdb1 (1).jpg

Imagem retirada do Pinterest

 

Uma tragédia que nunca se espera

Em 2017 decidi inscrever-me para fazer parte do staff da X Travel e ajudar em tudo o que desse durante a viagem de finalistas. Que erro, mal eu sabia o quanto me ia apaixonar por aquilo. Este ano não fui, mas o meu coração esteve em Punta Umbria durante toda a semana.
Foi das melhores experiências que já vivi nos meus 22 anos de existência. Durante uma semana dormi mal, troquei todos os horários de refeições e fiz o dia virar noite e vice versa. Durante uma semana fiz amizades que ainda hoje fazem parte do meu dia-a-dia. Durante uma semana fiz de mãe, pai, irmã, melhor amiga de todos os miúdos que precisavam de mim e da minha ajuda. Conheci "miúdos" finalistas que ainda hoje trago no coração.
O meu coração ficou pequenino quando soube da desgraça que aconteceu a um dos autocarros dos nossos finalistas. Um miúdo morreu. E eu sei que a culpa não é da X Travel. Foi um azar, um grande azar que arruinou a viagem de todos e sobretudo a vida de muitos miúdos que iam naquele autocarro.
Depois de saber o meu coração ficou apertadinho e fez-me perceber ainda mais que a vida muda drasticamente num segundo.
Era um miúdo. Um miúdo com familia, amigos, namorada e uma vida inteira para descobrir.
Não te conheci, mas espero que pelo menos Punta Umbria te tenha feito feliz e que estejas bem. Descansa em paz.
 

30440870_3997773773591050_1563319240491008000_n.pn