Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

22 e agora?

Aos 22 anos apercebi-me que a minha vida (re)começa agora. É hora de novas aventuras.

Display Night | Mais uma da saga: toda a gente já viu

Vamos falar de uma série que toda a gente já viu: Stranger Things. Confesso que mal a série saiu e se tornou conhecida fiquei com curiosidade de a ver, mas não fazia muito o meu género e o facto de ser de suspense me deixava um pouco sem vontade. No entanto fiz um pacto com uma amiga de que se ela visse La Casa de Papel eu via a única série que ela tinha gostado: Stranger Things. Ela cumpriu a parte dela e eu estou a fazer a minha.
Confesso que achei os primeiros três episódios bem aborrecidos, sem grandes desenvolvimentos, mas já estava à espera porque a minha amiga me tinha avisado. Passado esses três episódios gostei muito da série. É algo diferente do que eu costumo ver, mas gostei bastante.
Já viram ou têm curiosidade em ver?

 

7583307542858efe4f34476eacefd79b.jpg

Imagem retirada do Pinterest

52 semanas | Não nasci com esta caraterística

Mais uma semana mais um desafio! Esta semana a pergunta deu-me muito trabalho: "Fico envergonhada quando..." e depois de pensar muito a resposta é não sei. Juro que não sei. Claro que às vezes fico envergonhada com alguns elogios, sobretudo se forem pessoas que eu admiro e que a sua opinião tem um grande peso e impacto na minha vida, mas tirando isso acho que pouca coisa me deixa envergonhada. Antigamente ainda ficava envergonhada quando queria tirar fotos na rua ou assim, mas desde que me mudei para Lisboa apercebi-me que essa vergonha era parva e nunca mais a voltei a sentir.
São pessoas muito envergonhadas vocês?
 
 

C2BD2B7E-BE36-4850-AB6D-5E7974E85943.jpeg

Fotografia tirada por Carolina Prata

Livros sobre feminismo

Eu tinha prometido esta espécie de review dos dois últimos livros que li porque acho que merecem um post só para eles. São sobre feminismo. São de uma mulher que é uma das vozes mais ouvidas do movimento feminista. São dois livros incríveis que nos ensinam muito.
Não se deixem levar por serem livros pequenos porque cada página está carregada de ensinamentos. E não existem palavras que eu diga que vos expliquem o quão bom o livro é. Quando acabei os livros fiquei com vontade de ler mais sobre o assunto, de conhecer mais, de me dedicar mais à causa. Acho que toda a gente independentemente de ser homem ou mulher deve ler estes livros porque a cultura não ocupa espaço e o saber não tem limites. E foi graças a eles que o meu gosto pela leitura cresceu e se intensificou o que os torna ainda mais especiais na minha vida. 

 

ep Outin Style!.png

Imagem criada através do Canva

Peripécias de uma loja de roupa masculina, parte II

Na primeira publicação que fiz sobre este assunto disseram-me que gostavam de saber mais, por isso, aqui estou eu para continuar esta saga de coisas que acontecem na minha loja. Tem dias que sinto que todos os clientes que entram lá na loja combinaram para me tirar do sério todos no mesmo dia. 

No sábado passado tivemos duas situações. A primeira foi de um cliente de nacionalidade chinesa que obviamente não sabia nada de português ou inglês o que tornou o diálogo quase impossível. Quando a minha gerente lhe perguntou se precisava de ajuda ele começou a dizer azul e branco e continuo a mexer nas camisas. Escusado será dizer que saiu da loja sem nada. A segunda foi uma senhora extremamente simpática e educada - só que não. Como sempre faço dirigi-me à cliente, dei-lhe os bons dias e disse que se precisasse de ajuda me poderia dizer ao qual ela responde muito rapidamente a olhar para o marido: "Precisas de ajuda? É que eu não." e vira costas a rir-se. Uma coisa é dizer: "Não preciso de ajuda, obrigado." outra é ser arrogante e achar-se superior. 

Tal como disse no último post estas não são ainda as últimas peripécias, por isso, aguardem os próximos capítulos. 

 

e9160ade1aba12b9766149cc6a659137.jpg

 Imagem retirada do Pinterest

De cara lavada

Pois que o blogue já tem seis meses e eu achei que já merecia um upgrade no visual - e confesso que também já estava a ficar um pouco farta do anterior. O banner mantém-se o mesmo, apenas alterei o tipo de letra e o desenho das pestanas porque achei que combinavam mais assim. Depois mudei a barra lateral, a descrição e dei um ajuste em certos pormenores. O próximo passo vai ser criar uma página de Facebook para o blog e tinha pensado numa newsletter, o que acham? 

Quero que o blogue continue a evoluir mais e mais. Sinto que finalmente consegui construir o meu cantinho, algo que me deixa satisfeita e motivada para continuar a trabalhar nele. 

22 e agora_.png

 

Design criado por mim através do Canva

Acho que finalmente acertei

Pois como sabem - se não sabem já referi mil e uma vezes por aqui - não era uma grande fã de livros. Ler - livros ok? - não era a minha coisa preferida, mas isso mudou. Quando estagiei a minha editora disse-me que se quisesse ser uma excelente jornalista tinha de ler mais, de me interessar mais e isso mexeu comigo. Não gosto de ideias predefinidas, mas confesso que esta tem um pingo de fundamento e razão para uma pessoa que ambiciona ser jornalista. Por isso para 2018 tracei como meta para a mim ler 12 livros. A ideia seria ler um por mês, mas a verdade é que só este mês foram 3. Sim 3! (inserir mil e quinhentos foguetes por este milagre) 

A minha - sábia - editora disse que quando encontrasse um género de livros seria tudo muito mais simples e pois que esse milagre se deu. Descobri o que gosto de ler. Tenho pouca paciência para romances ou histórias assim mais lamechas. Mas amo ler biografias e histórias contadas por mulheres inspiradoras. Resumindo, girl bosses e feministas são o meu género de leitura. Livros sobre estes temas dão-me vontade de querer ler mais e mais e perceber mais sobre os assuntos. Ainda está para vir uma review dos últimos dois que li que acho que merecem um destaque do tamanho do universo e que mereciam ser lidos por toda a gente. 

Agora vou só ali pagar a fatura da Fnac que estão mais dois livros a caminho de casa. 

 

04d842d19c1d5db4064d9831beb89838.jpg

 Imagem retirada do Pinterest

52 semanas | Eu sou muito básica

Pois que já vamos na décima segunda semana do mês, o tempo passa a voar meu deus. O desafio desta semana é: coisas para fazer no frio e pois que eu sou muito básica. Se está frio é uma manta, um chocolate e Netflix/Mr. Piracy. Eu sei que sou muito, mas mesmo muito básica e igual aos comuns mortais, mas que atire a primeira pedra quem não concorda que este é o melhor plano do mundo para os dias mais frios. 

E vocês o que fazem nos dias mais frios? São team passear ou team Netflix?

 

97095b81f528640d12463e5c7adfd3df.jpg

Imagem retirada do Pinterest

Recarregar baterias

Tenho de confessar que começo a gostar de Lisboa. Muito mais do que alguma vez imaginei, mas a correria da cidade não me deixa descansar mesmo quando estou de folga sem fazsr nada a vegetar o dia todo. É por isso que adoro vir a casa. Apesar de o Porto ser uma cidade igualmente agitada transmite-me uma sensação de tranquilidade incrivel. Não venho tantas vezes como gostaria, mas esta viagem que faço uma vez por mês sabe-me pela vida. 

Resumindo e concluindo: adoro vir a casa.

 

2018-03-21 16:13:06.225.JPG

Fotografia tirada por mim

Pág. 1/3