Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

22 e agora?

Aos 22 anos apercebi-me que a minha vida (re)começa agora. É hora de novas aventuras.

Segundo milagre do ano concluído

Rufar de tambores ... Li o segundo livro do ano - palmas para mim - nem eu acredito que estou a ler isto. Para quem no sabe no início do ano propus-me a ler mais e tornei isto num desafio pessoal sério. O meu objetivo é simples ler pelo menos um livro por mês, ou seja, 12 livros este ano. E para meu espanto tem corrido muito bem. O livro que escolhi para o mês de fevereiro foi Uma noite em Nova Iorque do Tiago Rebelo. Confesso que escolhi o livro apenas por ter Nova Iorque no título, mas fiquei bastante surpreendida com o livro. É uma boa história que envolve vários romances com várias personagens. 

Agora já escolhi o próximo livro que vou ler e já tenho a maioria dos livros que quero ler definidos, mas como sempre estou aberta a sugestões, por isso, sintam-se livres para sugerirem bons livros de que gostem!

 

0b6b37e5abf6de6c3543dac489eb7ee3.jpg

 

Imagem retirada do Pinterest

O meu segundo emprego da vida

Estágios contam como emprego? Vá vamos fingir que não visto que só recebi experiência profissional - que na verdade é das coisas mais importantes - o que quer dizer que este é o meu segundo emprego. Depois do primeiro dia de trabalho tenho a dizer duas coisas: gostei, mas estou com uma dor de costas horrível. Já quando trabalhei durante o verão me aconteceu o mesmo, por passar tantas horas seguidas de pé acabava sempre por chegar ao final do dia com uma dor de costas do tamanho do mundo! A minha questão é: alguém tem uma solução milagrosa para estas dores de costas? 

Sobre o trabalho em si estou a gostar apesar de ser imensa, e sublinho, imensa informação para assimilar em pouco tempo. É uma loja só para homens o que faz com que tenha de decorar tipos de tecidos, estilos, etc.. e saber distinguir tudo à primeira. Mas vai tudo correr bem. 

 

a7f5df5b41f09dcdc52e359535ac115c.jpg

Imagem retirada do Pinterest

52 semanas | Vamos atualizar os últimos 15 dias

Nas duas últimas semanas não cumpri este desafio, o que me deixou um pouco triste, pois não gosto de falhar com as coisas que me comprometo a fazer. Mas vá, depois de duas semanas com o blogue a meio gás estou de volta com tudo, por isso, a primeira publicação teria de ser obviamente para por este desafio atualizado.

 

52 semanas.jpg

Imagem criada pela Fátima do blogue Porque Eu Posso.

 

Na semana sete o desafio era: Eu sempre. E bem assim que vi isto pensei, que sentido é que eu vou dar a este desafio? Como não conseguia chegar a lado nenhum decidi fazer algo mais geral e contar coisas que se calhar nunca contei no blogue. Uma espécie de confessionário portanto. Eu sempre, tropeço. Pelo menos uma vez por semana isto acontece-me ao ponto de achar que por vezes consigo ser das pessoas mais descoordenadas do mundo. Eu sempre vejo séries. Isto é um ritual diário mesmo! Não vejo praticamente nenhuma televisão - a não ser que esteja no Porto com os meus pais - por isso o computador e as séries tornaram-se os meus melhores amigos. Eu sempre vou querer dormir mais cinco minutos. Eu amo, amo, amo, amo, amo - e podia ficar aqui a noite toda - dormir. 

Já o desafio da semana oito é canja. Há um filme que marcou a minha infância e que ainda hoje é o meu preferido de sempre da Disney: A bela e o Monstro. Sou uma romântica incurável (não acredito que estou a revelar isto na internet), e para mim esta história da Disney combina totalmente comigo. Por outro lado um filme que não é tão da minha infância, mas que também queria destacar aqui é a saga do Harry Potter. Sou uma potterhead total, foi o meu primeiro amor do mundo do cinema assim a sério ao ponto de ir ver todos os filmes mais do que uma vez ao cinema, de acompanhar a vida das personagens e merchandising que é feito em torno da saga. E vocês qual é o filme ou filmes da vossa infância?

Programar publicações ou não?

Vou começar a trabalhar e por muito que tenham um turno fixo ainda tenho de pensar que tenho uma tese para terminar, por isso, e como não quero deixar o blogue ao abandono total decidi começar a programar os post's. Tenho pelo menos duas publicações por semana fixas e que me dão muito prazer de publicar logo acho que fica mais fácil se deixar já tudo programado. Quero pelo menos dia sim, dia não publicar algo e como tenho alguns temas pensados sobre os quais quero escrever esta ideia parece-me, para já, boa. 

E vocês? Programam publicações ou fazem tudo espontaneamente?

 

Mesa-feminina.jpg

Imagem retirada do Google

Sobre confiar.

No post anterior expliquei o meu afastamento do blogue e um, pequeno, resumo do que se tem passado na minha vida. Hoje escrevo para dizer que arranjei trabalho. Não é na minha área (como eu tanto gostaria), mas vai dar para juntar dinheiro e manter-me em Lisboa onde está o monopólio das oportunidades. 

Confesso que me sinto "sortuda" por ao fim de uma semana de procura poder dizer que já não sou desempregada. Agora é continuar a procurar na minha área enquanto acabo a minha maravilhosa - só que não - tese. 

A vida leva-nos sempre para o sítio certo

Se 2017 tinha sido um ano incrível desde o dia 26 de dezembro que tudo mudou. A minha vida deu uma volta de 360º em todos os sentidos. Fiquei sem estágio, logo sem trabalho, perdi a minha avó e a minha relação viu o seu fim chegar mais cedo do que eu queria ou imaginava. Mas como sempre me disseram "A vida leva-nos sempre para o sitio certo." e a vida trouxe-me para Lisboa. Tenho aproveitado os últimos dias junto dos meus amigos, que são só os melhores do mundo, para passear e conhecer melhor a Menina e Moça. Tem sido dias aproveitados longe das redes sociais, do blogue e um pouco do mundo. Tenho aproveitado sobretudo os meus amigos e algo ainda mais importante: a minha própria companhia! 

Prometo voltar com tudo esta semana ao blogue. Agora que tudo está novamente alinhado internamente estou pronta para voltar ao meu cantinho especial com toda a força do mundo. 

De volta

54515E22-07B5-44A0-9C2E-DC15CF871722.jpeg

De volta à rotina. De volta aquela que se tornou casa. De volta a Lisboa. De coração cheio e alma refeita pronta para novos começos. 

 

 

O carnaval solta a criatividade

Confesso que não ligo muito ao Carnaval e Halloween, mas adoro ver as máscaras das pessoas sobretudo perceber o quão original as pessoas conseguem ser. Ontem fui sair à noite com uns amigos e percebi que a originalidade das pessoas não tem limites mesmo. Desde fatos dos Simpsons, filmes ou aqueles que uma pessoa olha e não associa a nada, mas adora na mesma. Vi muita gente mascarada de smiles e unicórnios ou de anonymus aka os clássicos, mas também  vi muita originalidade mesmo.

E vocês? Festejam o carnaval ou também não ligam muito? 

Pág. 1/3